Massagem para Gestantes


A massagem para gestantes é uma massagem diferenciada, realizada com cuidados especiais e toques suaves, enfatizando os problemas da gestante, como alívio das dores lombares e diminuição do inchaço nas pernas, auxilia o retorno venoso estimulando a circulação sangüínea e linfática.

Tudo porque a gestação é um estado no qual muitas alterações ocorrem no organismo da gestante, o que a diferencia do ponto de vista das técnicas de massagem das demais pessoas.


BENEFÍCIOS DA MASSAGEM NA GRAVIDEZ

Segundo BECK-GALLAGHER (1997) a massagem pode atuar em muitas queixas da gravidez, como: cefaléia, azia, edema, dores musculares, fadiga, ansiedade e muitas mais.
Também aprimora as relações entre gestante e seu parceiro, prepara a grávida para o parto e o pós-parto.


BRAND-JAMES (2001) relata que alguns dos concretos benefícios da massagem na gravidez são:

- Facilita o processo psicológico da gestação, por fortalecer o trabalho do coração, aumentar a respiração celular, reduzir o edema, e contribuir para a sedação do sistema nervoso simpático.


- Alivia a sobrecarga nas articulações de suporte de peso e estruturas músculo-fasciais (articulação sacro-íliaca, coluna toraco-lombar, quadris, músculos eretores da espinha).


- Alivia e reduz dores no pescoço e nas costas causadas por postura inapropriada, fraqueza muscular e desequilíbrio.


- Provê suporte emocional e físico (particularmente para as mulheres que estão sozinhas nesta etapa).


- Desenvolve a consciência sensorial necessária para o processo do parto cinestesicamente (após o parto, a musculatura das costas, o abdômen e o assoalho pélvico devem relaxar para permitir que o útero trabalhe sem resistência).


- Facilitar o realinhamento estrutural da coluna e pelve no pós-parto e a reabilitação dos músculos abdominais e psoas.


Como YATES (2001) coloca em seu artigo (Shiatsu and Massage for Pregnancy and Childbirth), há um aumento na aceitação dos benefícios da massagem, sendo que muitos grupos pós-natais incluem sessões de massagem para o bebê (como a Shantala), porém, a massagem, assim como todas as outras terapias holísticas, necessitam provar seus benefícios.

Se uma mulher não está conectada com seu corpo e seu bebê, ela pode experimentar uma dificuldade na gravidez, no nascimento e talvez sofrer com depressão pós-parto, e ter problemas de vínculo afetivo com seu filho. Se, ao contrário, ela tiver uma boa ligação com seu corpo, então suas chances são as de experimentar uma maternidade maravilhosa. E, shiatsu e massagem são poderosos instrumentos para sustentar esse processo.

Além do shiatsu e da massagem, a autora trabalha com respiração, posicionamento, meditação e visualização. Yates acredita que os benefícios físicos do shiatsu e da massagem são limitados se a mulher não é orientada para tomar cuidado com sua postura, e de como ela usa seu corpo a cada dia. Movimentos e respiração promovem instrumentos viáveis para a mãe se conectar com seu corpo e seu bebê, e se preparar para a hora do parto.


POLDEN e MANTLE (2000) afirmam que a massagem no parto é utilizada para aliviar a dor e também como forma de cuidar, de apoio não verbal e de comunicação com a gestante. Em geral, obtém-se melhora da dor. Não foram feitos estudos controlados para identificar os mecanismos exatos pelos quais a massagem controla a dor.
O estímulo sensorial criado pelas batidas e massagens causam o efeito calmante, provavelmente por bloquear a dor no nível espinhal. (WELLS, 1988 apud POLDEN e MANTLE, 2000)

Para CASSAR (2001), o efeito calmante da massagem se estende para o bebê no útero.

Vários artigos tem mostrado os benefícios da massagem no período gestacional. Alguns deles citam apenas a massagem como técnica para relaxamento da gestante e como forma de diminuir a ansiedade sobre as dores do parto ou qualquer outro medo que a mulher possa ter sobre esse assunto.

Outros mostram a efetividade da massagem como redução de certos “problemas” advindos com o parto, como a necessidade de se usar instrumentos auxiliares do parto, como fórceps, ou de se fazer uma episiotomia.

A episiotomia é um corte feito no períneo para evitar o rompimento deste na hora do nascimento. Estudos afirmam que esta técnica realmente tem uma função eficaz, porém, outros estudos vem mostrando que esta afirmação não tem sido mais confirmada, e BECK-GALLAGHER (2000) a autora do artigo “Episiotomy – Is It Necessary?” propõe que outras técnicas evitam o rompimento do períneo e a necessidade de uma episiotomia.

Outro artigo, escrito por GRIESE (2000) “Preparing for Birth: Perineal Massage”, explica que quando as mulheres dão à luz, principalmente quando é pela primeira vez, pode ocorrer o rompimento do períneo – região entre a vagina e o anus. Assim, massageando essa área durante as últimas semanas de gestação pode reduzir o risco desse rompimento.

A massagem perineal pré-natal é uma técnica que alonga devagar e suavemente a pele e o tecido ao redor da vagina e períneo. Essa massagem ajuda a reduzir o risco do rompimento durante o parto e a necessidade de uma episiotomia..


CUIDADOS E CONTRA-INDICAÇÕES DA MASSAGEM NA GRAVIDEZ


Nas complicações da gravidez a massagem tem contra-indicação. Portanto não deve ser feita em problemas como: anormalidades da placenta, útero e cérvix; distúrbios do suprimento de sangue para o feto (aumento da pressão arterial, múltiplos fetos).(CASSAR, 2001)

De acordo com CASSAR (2001), a massagem não prejudica o feto nem perturba os processos naturais. Entretanto, nos primeiros 3 meses de gravidez é melhor evitar qualquer complicação, sendo contra-indicada a massagem na área abdominal neste período. Também é contra-indicada nesse local enquanto ocorrerem enjôos matinais ou vômitos.

A massagem é uma dita uma contra-indicação parcial à gravidez - no útero gravídico durante os primeiros 3 meses.(FRANCISCO da SILVA apud LEITÃO e LEITÃO, 1995)

Massagem abdominal, nos 6 meses finais da gestação, deve ser evitada, exceto com movimentos muito superficiais para aplicar cremes ou loções. (CASSAR, 2001)

A aplicação da massagem não deve causar dor a gestante. A melhor posição para a gestante é sentada ou deitada de lado (com almofadas para evitar que a gestante role sobre o abdômen). A posição em decúbito dorsal se for usada, por breves períodos (para evitar que o peso fique sobre vasos como a veia cava inferior)(CASSAR, 2001)

A massagem para melhorar retorno venoso de membros inferiores não deve ser feita em pacientes com veias varicosas. (CASSAR, 2001)


Fonte: http://www.santafisio.com/trabalhos/ver.asp?codigo=58
.

Comentários