Cuidados com a pele do recém-nascido

A chegada de um recém-nascido é sempre algo muito aguardada pela família. Se for o primeiro filho então, a expectativa é redobrada. Os cuidados com a decoração do quarto, a escolha do nome, enfim, são algumas das preocupações que os pais devem ter para que tudo esteja pronto para recebê-lo, principalmente, o enxoval e as fraudas, muitas fraudas... É nesse ponto que os pais devem ficar atentos: cuidados com a pele do bebê.

De acordo com a Dra. Carla Albuquerque, dermatologista de São Paulo e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, os cuidados diários devem ser seguidos a risca. “É preciso que as mães tenham um esquema rotineiro regular, efetivo e freqüente de limpeza, o que minimiza a exposição da pele do bebê às fraldas sujas. Sua pele é muito sensível e vulnerável, requer higienização adequada”, orienta a dermatologista.

A especialista explica também que a pele do bebê exerce importante papel fisiológico na regulação da temperatura, como uma barreira protetora contra infecções.

Banhos com sabonete alcalinos, por exemplo, devem ser evitados, dando-se preferência aos banhos com água morna com sabonete líquido de glicerina, em pequena quantidade. E ainda, evitar o uso de cremes, loções ou talcos que podem alterar esse manto protetor.

Até o 30º dia de vida do recém-nascido são indicados apenas cremes preventivos de assaduras a cada troca de fraldas. Porém, no período “neonatal”, ela pode apresentar algumas alterações na pele. Entre elas:

Mancha mongólica: mancha cuja tonalidade pode variar do azul até o cinza, mais freqüente na região lombar e glútea. Acomete principalmente os recém-nascidos da raça negra e tende a regredir espontaneamente durante a infância;

Cútis marmorata fisiológica: manchas produzidas pela dilatação dos vasos da pele, conferindo aspecto reticulado, principalmente nas pernas dos recém-nascidos quando expostos ao frio. Esse quadro é transitório e fisiológico, regredindo espontaneamente;

Hiperplasia sebácea: são bolinhas pequenas e esbranquiçadas que surgem principalmente no dorso nasal e lábio superior. Resulta da estimulação pelos hormônios da mãe das glândulas sebáceas do recém-nascido. Não é necessário tratamento, uma vez que desaparece naturalmente após algumas semanas.

Miliária: mais conhecida como “brotoeja” é o resultado da obstrução parcial dos dutos sudoríparos da pele do recém-nascido em função de sua imaturidade. Fatores que favorecem a transpiração como roupas quentes e ambientes com baixa ventilação, tendem a piorar esse problema;

Acne neonatal: quadro semelhante à acne “espinhas” que acometem a pele da face principalmente dos bebês do sexo masculino, devido estimulação pelos hormônios da mãe. Regride espontaneamente em algumas semanas.


Agora, a Dra. Carla Albuquerque dá algumas dicas para as mamães de “primeira viagem”:

- Troque as fraldas com freqüência;


- Assegure-se de que a pele está bem limpa e seca, especialmente nas dobras e sulcos da pele;


- Aplique um creme preventivo de assaduras a cada troca de fraldas;

- Deixe, com a maior freqüência possível, a pele de seu bebê exposta ao ar fresco e ao solzinho da manhã, por 5 a 10 minutos (pode ser através de um vidro de uma janela, por exemplo).


A exposição solar na medida certa é bastante importante para a pele do recém-nascido. Estudos mostram que cinco minutos de exposição solar, três vezes por semana, são suficientes para a produção de vitamina D pelo organismo do bebê, essencial para o desenvolvimento ósseo e prevenção do raquitismo.


Não faça automedicação. Na dúvida, procure um dermatologista para uma orientação mais adequada e específica para o caso.
 
 
Fonte: http://anunes.e-familyblog.com/note/15749/cuidados-com-a-pele-do-rec%C3%A9mnascido.html
.

Comentários