Leite materno, acima de tudo!

O leite materno é o alimento mais completo para o bebê. Nele estão todos os nutrientes que a criança precisa para garantir um desenvolvimento saudável em todos os sentidos. Para o bebê, o leite materno possibilita uma digestão muito mais fácil, menor incidência de alergias, infecções, diarréias, pneumonias e otites.

Ao amamentar, a mãe transfere “proteção” ao filho, pois seu leite é rico em anticorpos – proteínas que protegem a boca, o intestino, pulmão, os rins e as vias urinárias da criança. Sem contar que amamentar minimiza os riscos de obesidade no futuro.

A sucção que o bebê faz ao mamar estimula o desenvolvimento de músculos da boca e da face, prevenindo futuros problemas ortodônticos. A criança que mama no peito aprende a respirar pelo nariz, o que faz uma diferença e tanto para a saúde. Respirar pela boca deixa os dentes e a gengiva ressecados, mais suscetíveis a cáries e inflamações.

A mãe também ganha: durante a amamentação, o hormônio ocitocina é liberado, ajudando o útero a se contrair e reduzindo o risco de hemorragia e de anemia pós-parto.

Segundo estudo realizado em Boston, nos EUA, as mães que amamentaram reduziram em 15% o risco de diabetes. Nas mulheres que têm dois filhos e amamentaram ambos, o risco cai em 30%. As chances de a mãe desenvolver depressão pós-parto e câncer no aparelho reprodutivo também ficam menores. Mais e mais pesquisas confirmam que amamentar é tudo de bom para mãe e filho.

Colostro

Logo após o parto, a mama produz o colostro, o primeiro alimento do bebê. É um líquido espesso, amarelado e com alta concentração de anticorpos. Ele confere uma proteção única para o bebê, como se fosse uma primeira vacina. É produzido até o 7º dia depois do parto; depois, se transforma num leite de transição até chegar a ser leite maduro.
 
 
Fonte: http://www.revistapaisefilhos.com.br/htdocs/index.php?id_pg=112&id_txt=2648&break=1
.

Comentários