Gravidez altera a visão

Durante a gravidez as alterações hormonais influem na saúde ocular e aumentam o risco de surgir graves doenças nos olhos. De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, a maioria das gestantes apresenta a síndrome do olho seco, uma alteração na quantidade ou qualidade da produção lacrimal que está relacionada ao aumento da produção de estrogênio.

“Ardência, coceira, queimação, olhos vermelhos e irritados, visão borrada que melhora com o piscar, lacrimejamento excessivo, sensibilidade à luz, desconforto após ver televisão, ler ou trabalhar ao computador são alguns dos sintomas”, diz.

Segundo Queiroz Neto, o tratamento é simples. “Por ser um problema temporário é feito com lágrima artificial (colírio), que é uma medicação inócua sem efeitos adversos sobre o feto. Há casos que basta estimular a produção lacrimal por meio de dieta com pouco carboidrato, gordura e carne bovina, porém rica em vitaminas A e E (presentes em alimentos como as frutas, verduras e legumes), além da suplementação com Ômega 3, presente nas sementes de linhaça, nozes e algumas verduras”, explica.

É importante ressaltar que entre as tantas transformações físicas na futura feminino, o uso dos óculos pode ser uma delas. O oftalmologista afirma que o aumento da retenção de líquido durante a gestação pode provocar provoca alterações na superfície da córnea que induzem a mudanças no grau dos óculos ou lentes de contato.

“Esta alteração na refração geralmente desaparece após o parto e por isso não é indicada a troca de lentes oftálmicas durante a gravidez. O ideal, observa, é fazer um exame de vista depois do nascimento do bebê para checar se houve alteração refracional permanente”, finaliza.


Diabetes gestacional aumenta riscos

Durante a gravidez, o aumento da produção do HLP (Hormônio Lactogênio Placentário) inibe a produção de insulina pelo pâncreas o que pode aumentar o nível de glicose no sangue. O Brasil predispõe 7% das gestantes ao desenvolvimento do diabetes gestacional que em muitos casos vem acompanhado pelo aumento da pressão arterial.

Segundo o oftalmologista, o aumento da glicose no sangue e a hipertensão arterial podem causar sérias complicações oculares. As principais são:

• Retinopatia diabética que se caracteriza pelo crescimento de neovasos na retina que comprometem a saúde da membrana, com alto risco de cegueira.

• Hemorragia vítrea quando os neovasos comprometem o vítreo, substância transparente e gelatinosa que preenche o globo ocular, provocando a obstrução súbita da visão.

• Descolamento da retina causada pela tração do humor vítreo que separa as camadas da retina levando à visão de flashes de luz e manchas escuras. O tratamento cirúrgico deve ser imediato para evitar a perda da visão

• Glaucoma neovascular decorrente da formação de neovasos na íris que pode aumenta a pressão intra-ocular e resultar na perda da visão.

O médico lembra que o diabetes gestacional geralmente surge a partir da 24ª semana de gravidez e regride após o nascimento do bebê. Entretanto, a partir da 12ª semana de gestação, mulheres que fazem parte dos grupos de risco devem fazer exame de tolerância à glicose para evitar doenças oculares e complicações gestacionais.


Devem estar alertas mulheres que apresentam:

• Hipertensão arterial

• Sobrepeso e gordura abdominal

• Histórico familiar ou pessoal de diabetes

• Crescimento excessivo ou lento desenvolvimento do feto

• Grande ganho de peso na gravidez

• Idade superior a 25 anos

• Baixa estatura


A principal recomendação do médico para controlar o desenvolvimento da doença é fazer uma dieta rica em proteínas, com pouco açúcar e carboidratos

 
Fonte: http://semprematerna.uol.com.br/gravidez/gravidez-pode-alterar-a-visao?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter
.

Comentários