Musicoterapia: a trilha sonora dos baixinhos


A música faz parte da rotina dos bebês e crianças de todas as idades e em todos os tempos. Nas escolas a música se faz presente, mas presente mesmo é saber aproveitar o que ela faz de bom: acalma, anima, ensina, socializa, cura

Ela é uma forma de arte, das mais antigas. Ela expressa ideias, culturas, sentimentos, remetendo a emoções e trazendo benefícios poderosos em nosso corpo físico, mental e psicológico.

Segundo Claudia Junia Ferreira Rocha de Azevedo, terapeuta ocupacional, com extensão em Musicoterapia “A música já pode ser utilizada desde a gestação, com a mamãe conversando e cantando para o bebê na barriga. Normalmente, músicas que a mãe ouviu ou colocou para o bebê na barriga são músicas que podem acalmar, dar segurança e/ou confortar o mesmo, quando fora da barriga.

A mãe e o pai podem resgatar músicas de sua infância e cantar para o bebê, podem utilizar músicas clássicas também, porém, o mais importante é que essas músicas tenham ligação com a vida desses pais, para que eles possam transmitir para os filhos”.

Para a profissional, a música é um dos melhores elementos de expressão, comunicação e interação e aconselha os pais a fazerem uso da “boa música” com seus filhos, educar o ouvido musicalmente apresentando essa arte aos baixinhos, o quanto antes, melhor.

A terapeuta ocupacional Claudia Junia realiza tanto um trabalho nos berçários das escolas (para nenês de 0 a 2 anos), quanto para os maiorzinhos, de 2 a 6 anos. Nas oficinas com os bebês, direciona as atividades utilizando cantigas de roda, brincadeiras cantadas, músicas que estimulam ganhos físicos, de comunicação, cognição que o bebê pode apresentar.


Também utiliza músicas instrumentais e de relaxamento para o momento da massagem no final de cada oficina ou trabalho. E complementa, “O principal objetivo dessas oficinas é promover uma melhor interação dos pais com seus filhos, formação ou foortalecimento do vínculo”.

Já na pré-escola, a musicalização deverá ser ligada ao desenvolvimento de outros aspectos ligados à criança, como criatividade, coordenação motora, lateralidade, lógica, estética, socialização e afetividade (principalmente as crianças de período integral), entre outros.

Os trabalhos de terapia ocupacional ou a musicoterapia só podem ser realizados por profissionais especializados graduados. Escutar música ou cantar para o seu filho não é terapia, mas o seu efeito é especial, porque desenvolve o vínculo pessoal. As sessões de terapia variam de acordo com a necessidade do paciente, mas normalmente ocorrem de uma a duas vezes por semana, com duração de 50 minutos.

A indicação da terapia pode ser específica, como coadjuvante em tratamentos de saúde ou comportamental. No caso dos nenês e crianças habituais das escolas, eles terão o seu estímulo incentivado desde cedo para ajudar em seu desenvolvimento, relaxamento, potencializar aprendizados e resultados.

Sons caseiros

* Se os pais tocarem algum instrumento musical toque-o sempre, desde a gestação.
* Brincadeiras com chocalhos.
* Cantar ou colocar música na hora do banho.
* Cantar com palmas. Por volta dos 8 meses o nenê também interagirá com palmas.
Colocar músicas que falem das partes do corpo – auxilia na nomeação e estimula a fala.
* Brincar de roda.
* Estimular brincadeiras com instrumentos musicais, como o pandeiro, o tambor, o violão.
* Cantar, tocar, brincar, todos juntos; pais e nenês interagem de maneira fantástica e desenvolvem o vínculo afetivo

A musicalização da rotina das crianças com auxílio profissional

* Na fase da pré-escola não é aconselhável o aprendizado musical, manusear um instrumento, e sim depois da etapa da musicalização.
* Possibilita a descoberta da música.
* Proporciona descobertas de sons (do próprio corpo, instrumentais e do
meio).
* Por meio da música conhece o corpo, trabalhando imagem e esquema corporal, desenvolvendo os sentidos e aumentando a percepção.
* Estimula o ritmo.
* Estimula aspectos cognitivos e emocionais (atenção, concentração, memória, prontidão, entre outros).
* Estimula a criatividade e a imaginação.
* Proporciona uma melhor socialização.


Fonte: http://itodas.uol.com.br/Portal//mae/criancas/educacao/materia.itd.aspx?cod=7996&canal=51
.

Comentários