A Pré-História do Bebê


Devemos lembrar que cada gravidez tem uma história. Não existe gravidez sem história. Antes do casal iniciar a sua história, cada um já apresentava a sua própria história, seu lugar ocupado na família, seus conflitos resolvidos e não resolvidos, etc. Estas histórias são fruto de modelos familiares, culturais e sociais vivenciado por cada um deles.

Será neste contexto que cada um vivenciará a maternidade e a paternidade, com significados diferentes, de acordo com os modelos construídos a partir de sua vivência familiar. Estas duas histórias formarão a pré-história do bebê, no momento do encontro deste casal, da fecundação.

Fará parte da pré-história do bebê: como seus pais se conheceram, como se relacionavam, o significado de sua concepção para cada um de seus pais, abortos antecedentes, circunstâncias da concepção, expectativas explicitas e implícitas dos pais quanto preferência pelo sexo, profissão a ser escolhida, características físicas, evolução social, etc.

E esta história, por mais que não seja dita ao bebê, será sentida, será percebida. E tudo que se passa com este novo ser, será registrado em seu arquivo de memória, ficará marcado, e esta marca, mais tarde, será determinante na formação de seu ego.



Autora: Danusa (Psicóloga)
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=1185781&tid=6966731
.
 

Comentários