Amamentação – como lidar com as dificuldades


maylu-souza
Maylu Souza
Enfermeira Especialista em Obstetrícia e em Saúde Pública,
Psicanalista em Formação,
Graduanda em Psicologia.

O aleitamento materno é mais do que apenas uma prática alimentar, é o primeiro contato afetivo entre o bebê e sua mãe, proporcionando benefícios para a saúde de ambos. Muitas mulheres, porém, apresentam dificuldades em amamentar, levando ao desmame precoce.

A pega ou posicionamento incorreto é, sem dúvidas, uma das principais dificuldades durante o período da amamentação. Se o bebê não está posicionado da forma correta, ele não mama direito, podendo deglutir mais ar do que leite e também sendo doloroso e desconfortável para a mãe. Amamentar em uma única posição ou em um único seio costuma aumentar a chances do desenvolvimento de lesões e fissuras, por isso recomenda-se mudanças mais freqüentes da posição ao amamentar.

A anatomia dos mamilos também pode dificultar a amamentação. Durante o pré-natal, a gestante deve ser orientada quanto aos exercícios manuais que podem ser feitos nos mamilos (exercícios de exteriorização). A partir do segundo trimestre de gestação, esses exercícios são realizados durante o banho. Tomar sol nas mamas também ajuda a fortalecer os mamilos. Quando o bebê nasce, utiliza-se o próprio colostro para massagear e hidratar a aréola. O uso de cremes não é recomendado.

Popularmente chamado de "seio empedrado", o ingurgitamento mamário ocorre quando há um acúmulo de leite materno. A mama fica volumosa, com a pele brilhante e até avermelhada. Quando acontece o ingurgitamento, o bebê não consegue mamar corretamente, o que resulta em uma amamentação difícil para o bebê e dolorosa para a mãe. Para tratar o ingurgitamento, aumenta-se a frequência das mamadas e realiza-se a ordenha (extração manual do leite). O uso de um sutiã adequado para manter as mamas elevadas também é importante. O médico poderá prescrever um analgésico, a depender da gravidade dos sintomas.

As fissuras - pequenas rachaduras dolorosas, que ocorrem em mamilos sensíveis - são causadas principalmente pelo posicionamento incorreto durante a amamentação. O tratamento consiste em corrigir a posição das mamadas e a utilização do próprio leite (que possui um efeito cicatrizante) no local da fissura. Em algumas situações o médico poderá prescrever pomadas específicas, mas elas devem ser removidas completamente na hora que o bebê for mamar.

A mastite é uma complicação grave, pois trata-se de inflamação na mama que causa dor, aumento da sensibilidade na região e febre. Sendo necessária a prescrição de analgésicos e antibióticos. Situações mais graves exigem a realização de drenagem cirúrgica de abscessos. Não é recomendada a utilização de cremes, óleos e sabonetes, nem uso de compressas caso as mamas já estejam lesionadas. Para prevenir a mastite, recomenda-se ter o cuidado de sempre esvaziar as mamas e amamentar em posições alternadas para evitar lesões.

A amamentação e um período muito especial e deve ser vivenciado de forma prazerosa para a mãe e para a criança. A partir do surgimento de alguma queixa ou complicação, é necessário identificar o que está prejudicando a sua prática adequada. Não desista de amamentar seu bebê! Procure a orientação de profissional capacitado em aleitamento materno ou o Banco de Leite da sua cidade.

Fonte: http://www.redesulbahia.com.br/br/colunistas/maylu-souza/593-amamentacao-como-lidar-com-as-dificuldades.html

Comentários