A culpa é sempre da mãe?

maylu-souza
Maylu Souza
Enfermeira Especialista em Obstetrícia e em Saúde Pública,
Psicanalista em Formação,
Graduanda em Psicologia.
Nesse dia das mães decidi escrever algo diferente aqui. Não um texto técnico cheio de informações sobre saúde, não um texto feito por uma profissional, mas um texto escrito de uma mãe para outras mães.
Dizem que quando nasce uma mãe nasce também uma culpa. Parece que culpa e maternidade andam juntinhas, pois uma mãe sempre acha que poderia fazer algo melhor na criação de seu filho. A mãe se critica muito e é criticada por muitos outros também. Mas devemos não esquecer de que não existe uma mãe perfeita! Não existirá nunca uma mãe que em algum momento não cometa algum erro na criação de seu filho! A mãe perfeita é um mito, só é encontrada em filmes, novelas, livros... e é justamente essa idealização de que seria possível alcançar essa perfeição que traz tanta angústia e culpa para as mulheres.
Sigmund Freud, o pai da psicanálise, disse a seguinte frase sobre a criação dos filhos: "Eduque-o como quiser; de qualquer maneira há de educá-lo mal". Já o um outro psicanalista, Donald W. Winnicott, falava que a mãe deveria ser "suficientemente boa", essa não é uma mãe perfeita, é a mãe que sabe se adequar as necessidades de seu filho.
A idéia popular de que a culpa sempre é da mãe não ajuda em nada! Julgamos mais do que fornecemos apoio: Se a mãe não amamentou é criticada, se amamentou também se metem no tempo da amamentação. Se teve seu filho por cesárea é criticada, mas se teve normal também ouve comentários negativos. Se trabalha fora é criticada, se parou de trabalhar lá vem mais comentários que pouco contribuem e muito machucam... Quando culpamos a mãe colocamos nela o peso do mundo nos seus ombros! Além da grande responsabilidade de criar (bem) o seu filho, cobra-se ainda da mulher atual que ela seja uma excelente profissional, esposa, dona de casa, amiga, que esteja sempre arrumada, etc. Enfim, ser uma super mulher! E é claro que é humanamente impossível dar conta sozinha de todos esses aspectos da vida, aí entra a angústia e a culpa.
Há uma grande diferença entre culpa e responsabilidade, quando nos culpamos ficamos aprisionados e limitados, já quando assumimos as responsabilidades de nossas escolhas podemos aceita-las ou questioná-las e tomar decisões de forma clara e racional. Aceitar a ajuda de familiares, procurar conversar com outras mães para trocar experiências ou procurar uma psicoterapia são algumas formas para lidar com a culpa e minimizar o sofrimento.
Nesse dia das mães acho que nós merecemos homenagens sim, só que merecemos muito mais do que isso, merecemos respeito sobre a forma de criar e educar nossos filhos e merecemos tolerância e apoio pois mesmo tentando acertar cometeremos erros! Então, vamos parar de nos culpar tanto e viver a maternidade de uma forma mais leve! Feliz dia das mães!
Maylu Souza
Mãe do Enzo, de 2 anos e 8 meses
Fonte: http://www.redesulbahia.com.br/br/colunistas/maylu-souza/688-a-culpa-e-sempre-da-mae.html

Comentários