Os brinquedos e sua função

Qual o menino que nunca se divertiu com a agilidade da bola, o fascínio de um carrinho ou o colorido de um pião? As meninas adoram suas bonecas, companheiras de todas as horas, junto com o ursinho, que tem lugar certo, bem ao lado do travesseiro, no berço. Cada um deles com uma importante função no desenvolvimento motor e emocional da criança.

Carrinho

Desde pequenos, eles se identificam com esse brinquedo. O conhecido bibi – ruído da buzina – já é balbuciado pelos bebês quando aprendem a falar. O movimento do carro chama a atenção das crianças, que transportam pedrinhas, folhas e bonecos, estimulando, assim, a imaginação. Quando comprar, cuidado na escolha do modelo. Dependendo da idade de seu filho, evite os que têm peças miúdas, que podem se soltar.

Boneca

Unanimidade entre as meninas, a melhor amiga. É fácil se identificar com elas, com formas tão semelhantes às humanas: olhos, boca, braços, pernas. Despertam o instinto maternal. Com elas, sua filha desenvolve o potencial afetivo.

Não deixe de oferecer bonecas de tipos e tamanhos variados, para que a criança possa vivenciar situações do seu dia-a-dia e exercitar a fantasia. Assim, além das tradicionais, escolha bruxinhas, fadas, reis, magos, papai noel, coelho da Páscoa, anões, gigantes, figuras do mal, bonecos masculinos, negros, orientais, jovens, vovôs, vovós. E aproveite os momentos de brincadeira para explicar as diferenças e semelhanças entre eles.

Pião

Movimento e cores. Uma mistura que atrai as crianças. Acima de sete anos aprendem mais facilmente o modo certo de girá-lo. Desenvolve a flexibilidade muscular e a coordenação motora. Atrai, na maioria das vezes, os meninos.

Urso de pelúcia

Suave e aconchegante. O amiguinho inseparável até mesmo na hora de dormir, assim como os travesseirinhos, mantas, fraldas e cobertores. Por volta dos dois anos da crianças, ele vira seu confidente. Quando ela cresce mais um pouquinho, o substitui por companheiros de verdade, outras crianças. Os pais devem lembrar que são seus filhos quem decidem a hora dessa separação, não eles.

Chocalho

Entra na vida do bebê por volta dos quatro meses. Colorido e com um barulinho todo especial, que desperta a atenção da criança. Pouco tempo depois, ela consegue sacudir o chocalho e levá-lo à boca. Com ele, seu filho desenvolve a percepção sensorial e a atividade motora.

Os indígenas fabricam chocalhos com cascas de frutas e sementes. Nas lojas, há modelos em plástico ou tecido. Quando comprar, muita atenção ao material, que deve ser atóxico. E ao formato: nada de bordas ásperas.

Bola

Decididamente, ela tem um enorme fascínio em todas as idades. O colorido, a forma arredondada e a leveza são o que mais encanta, também às meninas. Jogar bola pode ser uma atividade individual, mas também, de grupo, favorecendo a integração entre as crianças, além de estimular a agilidade e o desenvolvimento motor.

Móbile: brincadeira que estimula

Coloridos, com desenhos e materiais variados e uma música bem suave. Em forma de sol, lua, estrela, palhacinhos, ursos, carros, o que quiser. Em cima do berço, distraem o bebê, estimulam sua imaginação e a capacidade visual.

Dica: não sobrecarregue seu filho com diversos estímulos visuais. Muitas imagens na parede, cortinas com desenhos grandes, excesso de brinquedos e móbiles em movimento podem fazer com que ele se canse e perca o interesse. Se começar a chorar, se contorcer ou se agitar muito, é um sinal de que está cansado. Dê um tempo e recomece a brincadeira. Vai ser um sucesso!

Para saber se a brincadeira está agradando, especialistas sugerem que os pais observem alguns sinais no bebê:
Os batimentos cardíacos ficam mais lentos e regulares, demonstrando tranqüilidade.
A sucção ganha um ritmo coordenado e mais lento.
As pupilas se dilatam, os olhos parecem mais atentos.
Há um relaxamento da musculatura do abdômen.
Os dedinhos dos pés e das mãos se agitam quando ele se alegra com o brinquedo.

Ao escolher o móbile:
Prefira cores vivas e formas diversificadas;
Evite os de tamanho muito pequenos. Afinal, nessa fase, a visão do bebê ainda não está totalmente desenvolvida. Mas, evite os exageros.
Pendure-o a uma distância de, aproximadamente, 40 cm do berço.
Se ele for mecânico ou a pilha, não deixe que a duração do balanço exceda dois minutos. Caso contrário, pode ser muito cansativo para o neném.


Fonte: http://www2.uol.com.br/topbaby/conteudo/secoes/bebe/desenvolvimento/474.html
.

Comentários

  1. Maylu, conhece o livro "Brincadeiras Criativas para seu Bebê"? Vale a pena ter, eu já estou no "Brincadeiras Criativas para seu filho" (que é para bebês crescidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ingrid!
      Já ouvi falar muito bem desse livro!!!
      Tenho que comprar!!!
      bjs
      ;D

      Excluir

Postar um comentário