Como Brincam os Bebês

O nascimento de um bebê vem geralmente cercado de expectativas, sonhos e planos para o futuro. Quando nasce, o bebê humano ainda é prematuro se comparado a outros animais, pois ainda não completou a formação de seu sistema neurológico e perceptivo.

Entre o nascimento e os três anos muita coisa acontece para que aprenda a controlar os esfíncteres, a comunicar-se pela fala, a andar e a ter mais independência dos familiares e adultos mais próximos. Ao alimentar ou trocar uma criança pequena não é só o cuidado com a alimentação e higiene que são importantes, mas a afetividade que envolve essa situação.

É nessa primeira relação afetiva positiva que o bebê vai aprendendo a ter confiança em si próprio e nos adultos que o rodeiam. Ser cuidado por um adulto atencioso e amoroso, portanto, é muito importante para o desenvolvimento do bebê!

Quanto menor a criança mais as atitudes e procedimentos de cuidados do adulto são de importância fundamental para o trabalho educativo que realiza com ela, uma vez que o cérebro humano se desenvolve mais rapidamente durante os primeiros meses do que em qualquer outro período da vida, estabelecendo conexões que ficarão para sempre.


Os pais

Pais são os principais agentes do desenvolvimento infantil uma vez que é na interação com eles que os bebês conhecem o mundo ao seu redor. Os vínculos afetivos que se constituem nesse período irão influenciar a vida futura das crianças definindo, inclusive, se ela será regida por condutas pacíficas ou violentas, dependendo da qualidade dos laços afetivos que se formarem.

Várias pesquisas têm demonstrado que, ao brincar com as crianças durante os primeiros anos de vida, pode-se evitar problemas de saúde, do ponto de vista emocional e físico.

Além disso, o ato de brincar reúne todas as condições necessárias para que o desenvolvimento infantil se processe de maneira harmoniosa. Oferecer aos bebês objetos com diferentes texturas e formas, além de entrar também na brincadeira, favorece as suas experiências sensoriais incluindo a exploração e a descoberta do mundo á sua volta e a maneira como relaciona os acontecimentos e interage com eles.

A criança pequena tem ainda grande afinidade com ritmos e formas da natureza e se sente fascinada pelos quatro elementos – terra, água, ar e calor – desejando ter experiências diversas com cada um deles. Os adultos podem estar orientando e direcionando essa aproximação, garantindo proteção e evitando acidentes. São importantes as experiências sensoriais com plantas e animais, que ajudam as crianças a conhecer diferentes sons, aromas e texturas, conquistando intimidade com a natureza.


Brinquedos e Brincadeiras

Os pais são os parceiros preferidos pelas crianças pequenas em suas brincadeiras, pois embora elas gostem muito de estar com outras crianças, podem ter alguma dificuldade para brincar com elas.

Brinquedos e brincadeiras não têm idade uma vez que, à medida em que cresce, a criança se utiliza deles de diferentes maneiras. Porém, como o desenvolvimento ocorre muito rápido na fase do nascimento aos três anos, passaremos a enumerá-los por faixa etária apenas por uma questão prática.


Bebês e crianças até 1 ano e meio:

• Fazer caretas e sons para ser observado;

• Deixá-los brincar com seus dedos, pés, paninhos e bonecos de pelúcia quando estiverem em seus berços, camas ou sobre um tapete no chão;

• Brincar de esconder atrás de panos, lençóis, portas, etc;

• Oferecer diferentes texturas e tamanhos para tocar;

• Colocá-los em contato com diferentes aromas: flores, temperos;

• Imitar gestos e sons de animais domésticos;

• Fazer ginástica: pular sobre a cama, rolar no tapete, engatinhar, balançar nos joelhos;

• Brincar de esconder e achar pequenos objetos;

• Utilizar brinquedos empilháveis com diferentes tamanhos e cores;

• Cantar para eles. Os rítmos podem ser calmos e as palavras importantes para o seu próprio desenvolvimento da linguagem. Utilizar objetos com diferentes sons;

• Mostrar livros com figuras e contar histórias curtas.

Bebês também aprendem com os pais brincando com irmãos e irmãs mais velhos, portanto divida esses momentos. Quando as famílias eram maiores, os avós, tios e primos viviam próximos uns dos outros e brincavam bastante com as crianças.

Crianças, até as bem pequenas, precisam de atividades físicas para não colocar em risco a sua saúde.


Crianças de 1 ano e meio a 3 anos:

• Brincar de imitar gestos tais como lavar o rosto, limpar a casa, engatinhar como gatos, por exemplo;

• Brincar de "Imitar o Mestre", ou seja, faça tudo que o Mestre mandar tal como andar de quatro, cantar como um galo, etc;

• Estimular jogos corporais de equilibrar-se em um pé só, pular com os dois pés, correr de olhos fechados, etc;

• Ler uma pequena história e pedir que as crianças imitem os personagens principais, utilizando fantoches;

• Brincar de " faz- de-conta", fantasiando-se com uma roupa velha ou de adulto;

• Grandes caixas de papelão para fazer carros, lojas ou somente para explorar;

• Blocos de construção e de encaixe em tamanhos e cores variadas, para construir com elas;

• Brinquedos com movimento e rodas: carrinhos de puxar ou empurrar, triciclos, cavalinho de pau;

• Jogos com bola, brincadeiras com balões (bexigas);

• Brincar com terra, areia e água;

• Brincar com pequenos animais;

• Brincar com tintas e outros materiais para o desenvolvimento da criatividade;

• Manusear diferentes instrumentos, tocá-los e cantar.

Nessa fase as crianças gostam de brincar com outras crianças compartilhando um mesmo objeto, como por exemplo, entrar em uma caixa e ser empurrado, jogar bola, vestir uma boneca, etc. Brincar com crianças mais velhas desperta nestas o senso de cuidado, e oferece para as menores modelos a serem seguidos.


Pontos conclusivos

• Brincar deverá sempre considerar as necessidades da criança;

• Todas as crianças são diferentes. Elas têm diferentes gostos e brincam diferentemente;

• Brincar é sempre controlado pela criança. Por isso também é importante;

• Quando brincar se torna parte da rotina familiar, criar as crianças parecerá mais divertido e menos trabalhoso. Excelente para a saúde da criança e dos pais;

• Muitas pessoas irão influenciar as experiências da criança pelo brincar. Os pais são as mais importantes;

• Brincando com as crianças os pais tem menos ansiedade, estresse e mais felicidade;

• Famílias devem brincar juntas, brincadeiras e jogos não são somente para as crianças;

• O desenvolvimento na infância, proporcionado pelo brincar, é para toda a vida!



Por: Marilena Flores Martins
Co-fundadora e Presidente da IPA Brasil 2008/2011
Andrew John Swan
Ludoeducador e Conselheiro da IPA – International Play Association.

Fonte: http://www.ipadireitodebrincar.org.br/
.

Comentários