Maternidade

Psicologia Perinatal e da Maternidade



A Psicologia Perinatal é a área de especialidade da psicologia que acompanha as mudanças emocionais vividas pela mulher/casal/família desde a concepção (ou mesmo antes dela, quando há o desejo de se engravidar) até o final do período do puerpério (pós-parto). Além do acompanhamento psicológico também em outras situação relacionadas a este contexto como a infertilidade, adoção, casos de aborto, luto perinatal, etc.

A gravidez e o pós-parto consistem em fases delicadas em que ocorrem diversas mudanças nos contextos físico, psicológico e social para a mulher/casal.


Para a maioria das mulheres a gravidez e a maternidade costumam gerar alegria e expectativas positivas, mas isso não ocorre em todas! As mudanças das taxas hormonais, juntamente com a privação do sono, com a ansiedade e as inseguranças que surgem quanto a forma de cuidar do bebê e as responsabilidades assumidas pelo papel materno podem causar angústia e sofrimento para algumas mães. 

Erikson (1976 apud ARRAIS, 2005, p.15) alega que “o Puerpério é um período vulnerável, com risco psiquiátrico aumentado no ciclo de vida da mulher”, porém estudos recentes demonstram a prevalência maior de problemas de saúde mental na mulher ocorre já durante o período gestacional, por isso considera-se que o acompanhamento psicológico durante a gestação e no pós-parto é tão importante quanto o pré-natal obstétrico
A psicologia perinatal pode ajudar fornecendo o apoio psicológico para mãe, casal e família, promovendo e fortalecendo a construção do vínculo com o bebê. 

“Quando os adultos têm dificuldades para oferecer à criança o que ela pede, cabe a nós revisar nosso próprio desamparo infantil, ao invés de culpar a criança”

(Laura Gutman)
\

Nenhum comentário:

Postar um comentário