Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

12 maneiras de ser a pior mãe do mundo

Imagem
Uma vez, eu saí da loja, sem dar a bolacha que meu filho fez birra para conseguir. Uma mulher me parou no estacionamento e me disse que eu era a melhor mãe naquele local. Já minha filha não tinha tanta certeza disso. Quando seus filhos lhe disserem que você é má, tome isso como um elogio. A nova geração tem sido chamada de a mais preguiçosa, mais rude, e a com mais títulos da história. As histórias sobre crianças que são difíceis de lidar assustam até a melhor das mães. Novidade: não são apenas as crianças, são os pais. É fácil querer jogar a toalha e desistir de brigar com seus filhos. Afinal, todas nós não queremos ser a mãe legal? Não desista. Eles podem pensar que você é malvada agora, mas eles vão agradecer-lhe mais tarde.
Aqui estão 12 maneiras de ser a pior mãe do mundo:

1. Faça seus filhos irem para a cama a uma hora razoável. Será que existe alguém que não tenha ouvido o quão importante uma boa noite de sono é para o sucesso de uma criança? Faça seu papel de mãe e coloque seu f…

A importância do brincar para o desenvolvimento infantil

Imagem
Para a criança, o brincar é a sua linguagem, a maneira encontrada para se expressar no mundo e comunicar a sua realidade interior. É através das brincadeiras e jogos que a criança expressa suas alegrias, frustrações, habilidades e dificuldades. O ato de brincar é considerado uma atividade essencial no desenvolvimento infantil. Os conceitos de criança e de infância já foram diferentes do que conhecemos hoje. Por muito tempo acreditava-se que a criança era apenas um “adulto em miniatura”, daí a necessidade de trabalhar para ajudar a família desde cedo.
A infância e a vida adulta eram consideradas semelhantes, hoje já se sabe que o período da infância é a base para todo o aprendizado posterior da criança e que o brincar é tão importante quanto o estudar. Vygotsky, teórico da área do desenvolvimento intelectual infantil afirmava que “ao brincar, a criança assume papéis e aceita as regras próprias da brincadeira, executando, imaginariamente, tarefas para as quais ainda não está apta ou não…

Depressão infantil não é frescura

Imagem
O apetite muda, pode estar aumentado ou drasticamente reduzido. Seu filho apresenta episódios constantes de insônia e os professores comentam que ele está com falta de concentração nas aulas. Os colegas reparam que ele chora muitas vezes. As atividades que antes eram prazerosas deixam de ser interessantes, e, a criança torna-se apática em relação a elas. 
Não é raro, as crianças expandirem os sintomas emocionais para o físico, apresentando dores de cabeça constantes, dores abdominais, sensação de aperto no peito e respiração curta, roer unhas, cutucar a pele (entre outras).
Para além desses sintomas, a criança está hiperativa, muito pessimista e acorda, na maior parte das vezes, cansado – Estes podem ser os primeiros sintomas, embora não únicos, de uma depressão infantil. Há cada vez mais crianças até os 12 anos de idade, clinicamente depressivas, segundo a OMS. O pior de tudo, é que muitos pais não percebem os sintomas e acabam sendo influenciados com a idéia de que é normal e que toda…

Quando a Terapia Mãe-Bebê é Necessária

Imagem
Quando a Terapia Mãe-Bebê é Necessária?
Muitas mulheres passam por momentos conturbados em suas vidas, quando deparam com a impossibilidade de realizar seu sonho tão esperado, o de ser mãe. 
Algumas partirão para o ataque e se submeterão a inseminação artificial, a tratamentos hormonais e sei lá mais o que, que a tecnologia médica, dispõe nos dias atuais. Outras mulheres optarão pela adoção. Outras sentiram a maternidade como algo estranho, independente de terem tido um filho por vias naturais ou não. 
É de se esperar que conflitos apareçam frente a qualquer uma das opções. Mas o desejo de ser mãe se torna imperativo e as barreiras iniciais podem ser vencidas. Após uma adoção, uma gravidez induzida ou natural não é infreqüente a recém mãe ter algum grau de dificuldade em se vincular ao seu bebê. Ela desempenha suas tarefas maternas com todo seu afinco: alimenta o seu filhinho, troca-lhe as fraldas, coloca-o para dormir e etc. 
Apesar de todos os cuidados oferecidos, esta “novata” ainda nã…

Maternidade

Imagem
Nós estamos sentadas, almoçando, quando minha filha casualmente menciona que ela e seu marido estão pensando em “começar uma família”.

— Nós estamos fazendo uma pesquisa — ela diz, meio de brincadeira. — Você acha que eu deveria ter um bebê?

— Vai mudar a sua vida — eu digo, cuidadosamente, mantendo meu tom neutro.

— Eu sei — ela diz. — Nada de dormir até tarde nos finais de semana, nada de férias espontâneas…

Mas não foi nada disso que eu quis dizer. Eu olho para a minha filha tentando decidir o que dizer a ela. Eu quero que ela saiba o que ela nunca vai aprender no curso de casais grávidos. Eu quero lhe dizer que as feridas físicas de dar à luz irão se curar, mas que tornar-se mãe deixará uma ferida emocional tão exposta que ela estará para sempre vulnerável.

Eu penso em alertá-la que ela nunca mais vai ler um jornal sem se perguntar: “E se tivesse sido o MEU filho?”; que cada acidente de avião, cada incêndio irá lhe assombrar; que quando ela vir fotos de crianças morrendo de fome,…

II Encontro Internacional e IX Encontro Nacional sobre o Bebê

Imagem

Curso de Psicologia na Maternidade

Imagem

"Escola antes dos 3 anos é um erro"

Imagem
Nos primeiros anos de vida, as crianças só precisam do amor dos pais, afirma o best-seller Steve Biddulph
Um dos autores mais bem-sucedidos da psicologia infantil, o britânico Steve Biddulph, de 51 anos, não se envergonha de jogar um balde de água fria nas conquistas femininas dos últimos 40 anos. Em vez de sair para trabalhar, ele diz que as mães – e os pais também – deveriam ficar em casa com seus filhos até eles completarem 3 anos. O motivo é a inadequação das creches modernas às necessidades das crianças dessa idade, que, segundo Biddulph, precisam muito mais de amor e carinho do que de brincadeiras com gente estranha. 

ENTREVISTA
Steve BiddulphVIDA PESSOAL 
Nasceu em 1956, em Yorkshire, na Grã- Bretanha. Mora em Evandale, na Austrália. É casado com a escritora Shaara Biddulph

O QUE PUBLICOU 
Entre as obras que publicou, traduzidas em 27 idiomas, estão o best-seller Criando Meninos, O Segredo das Crianças Felizes, Momentos Mágicos com Seus Filhos, Filhos: Nossa Imortalidade e, o mais…