29 de outubro de 2010

A Visão da Criança

Com 1 mês e meio

- Carregado nos braços pelo pai (mãe), o bebê fita a face do adulto (a 30cm);

- Acompanha com os olhos o movimento da cabeça dos pais;

- Sentado no colo, o bebê segue os movimentos de um objeto colorido (a 30cm).


Aos 3 meses

- O bebê acompanha um objeto movendo em semi circulo

- O bebê observa um objeto situado mais longe e tenta ancançá-lo;

- Começa olhar as mãozinhas e a brincar com elas, afastando e aproximando-as.


Aos 4 meses

- O bebê já e atraído pela tela da televisão mais distante ou olha além da janela;

- O bebê pega ou bate em objetos próximos;

- Acompanha atividades próximas


Aos 6 meses

- Interesse por novas formas e cores;

- Interesse pelo espelho.


Com 1 ano

- Acha objetos escondidos;

- Olha para a figura correta quando ela é indicada pelo nome.


Com 4 anos

Teste de visão de Snellen – Quadros dos E - Pode ser feito pelo pediatra, a cada 6 meses (máximo 1 ano), até os 9 anos ou a qualquer momento que surja dúvida sobre a acuidade visual.



Fonte: http://www.pediatriabrasil.com.br/2010/10/visao-na-crianca.html
.

Humanização do Nascimento

Apesar da palavra "Humanização" ser utilizada frequentemente quando tratamos da assistência à saúde, ainda existe muita confusão quanto ao que realmente se pretende com a utilização deste termo.


Esta palavra virou um jargão muitas vezes esvaziado, pois que nos remete a lugares claramente distantes, e por vezes antagônicos. Mais do que uma abordagem menos agressiva no manejo dos pacientes, a idéia de humanizar o nascimento se vincula a um modelo filosófico renascentista, como está definido no dicio­nário de Aurélio B. de Hollanda, "Humanismo nos remete à doutrina ou atitude que se situa definitiva­mente numa perspectiva antropocêntrica, em domínios e níveis diversos, assumindo, com maior ou me­nor radicalismo, as conseqüências daí decorrentes".
Na Renascença os Humanistas opunham-se ao teocentrismo pessimista que colocava o homem como o erro irrecuperável da criação e o disparate paradoxal do Todo Poderoso. Os que se opunham a esta visão glorificavam o homem, enxergando nele a representação do divino em potencialidade.

Na medicina de hoje, a humanização vem cumprir uma tarefa semelhante ao do humanismo renascentista ao enten­der que toda a ciência deve ser voltada para o homem. Para o parto ela propõe uma nova abordagem da assistência, colocando a mulher como centro de qualquer ação. Assim, a Humanização do Nasci­mento trata da posição subjetiva em que a parturiente ocupa neste cenário.

A atenção contemporâ­nea ao parto se fundamenta numa visão negativa sobre mulher e suas capacidades, entendendo-a como defectiva e essencialmente incapaz, uma ideologia que desconsidera a aptidão feminina ancestral de parir e que confunde assistência com tutela.
O que tornará um parto verdadeiramente humanizado será o protagonismo (re)conquistado por esta mulher. A posição de cócoras, a presença do marido/acompanhante, a diminuição de algumas interven­ções sabidamente desnecessárias e perigosas, etc. são descobertas importantes da ciência para nos mostrar o caminho mais seguro. Entretanto, é necessário muito mais do que isso. É preciso que a mulher possa escolher e se responsabilizar por suas escolhas.
Não existe humanização do nascimento com mulheres sem voz. É preciso que ela, consciente da sua posição como figura central no processo, faça valer seus direitos, sua autonomia e seu valor. Sem este delineamento do que concebemos por humanização ficaremos todos tratando por um mesmo termo con­ceitos completamente diversos.
Para divulgar o que entendemos por "humanizar o nascimento para mudar a sociedade", estaremos rea­lizando de 27 a 30 de novembro de 2010 a  III Conferência Internacional de Humanização do Nasci­mento

www.conferenciarehuna2010.com.br

em Brasília-DF, com convidados nacionais e internacionais para que a partir de conceitos firmes e sólidos possamos construir um modelo mais justo, digno, seguro e adequado para as mulheres, suas famílias e seus filhos.


Autor: Dr. Ricardo Herbert Jones
Publicado no www.aleitamento.com em 26/10/2010

.

28 de outubro de 2010

Teste do Pezinho

De extrema importância para a saúde do bebê o teste do pezinho deve ser feito entre as primeiras 48 horas até o sétimo dia de vida. “Com o exame você detecta precocemente doenças que poderiam causar seqüelas físicas e mentais irreparáveis. Assim é possível começar um tratamento adequado nas primeiras semanas de vida do bebê e evitar conseqüências graves no futuro, antes mesmo do aparecimento de algum sintoma”, explica a pediatra Keiko Teruya.

Para as futuras mamães que não sabem, o teste do pezinho é obrigatório por lei. O Programa Nacional de Triagem Neonatal - PNTN garante que toda criança nascida em território nacional tem direito ao teste do pezinho básico, totalmente gratuito. Através do Teste podem ser diagnosticadas doenças como a Fenilcetonúria, o Hipotireoidismo Congênito, a Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias (doenças do sangue).

Além do teste básico do pezinho, outras duas versões mais elaboradas podem ser encontradas, o ampliado e o completo. Esses dois procedimentos são pagos e o valor varia dependendo do local onde for realizado o teste.


Informações sobre as doenças pesquisadas no teste do pezinho:


1) FENILCETONÚRIA

O que é ?

Doença causada por falta de uma substância (enzima) que transforma a fenilalanina (aminoácido) em tirosina. Ocorre um acúmulo de fenilalanina que poderá afetar o cérebro e levar à deficiência mental. O nome da doença deve-se ao fato de haver eliminação excessiva de fenilalanina na urina, que fica com um odor semelhante ao do mofo. As crianças nascem normais mas à medida que recebem alimentos ricos em fenilalanina, passam a acumulá-la no corpo sem conseguir metabolizá-la. A freqüência desta doença é de 1 caso em cada 10.000 recém-nascidos.


Como se transmite ?

Através dos genes dos pais. Se os pais forem portadores (heterozigotos), existirá uma chance de 25% de terem um filho doente (homozigoto).


Qual a importância do teste do pezinho ?

A suspeita diagnóstica se faz quando o nível de fenilalanina no sangue for acima de 20 mg/dL e o nível de tirosina no plasma for normal ou reduzido. A causa mais comum de aumento de fenilalanina no sangue do RN é uma circunstância transitória chamada tirosinemia transitória

Nesta condição ocorre aumento tanto de tirosina como de fenilalanina por atividade inadequada da enzima que age sobre a tirosina e é dependente de vitamina C. Isto ocorre principalmente em recém-nascidos prematuros (embora também possa ocorrer em recém-nascidos normais) porque as vias metabólicas da fenilalanina só se desenvolvem a partir dos últimos meses da gravidez. A tirosinemia transitória geralmente regride, não implicando nos mesmos riscos da fenilcetonúria.


Qual é o tratamento da fenilcetonúria ?

Exclusão de fenilalanina da dieta. Tem bom prognóstico para o desenvolvimento nervoso, principalmente se iniciada antes de 3 semanas de vida.



2) GALACTOSEMIA

O que é ?

É uma deficiência de uma enzima (galactose - 1 - fosfato uridil transferase) responsável pelo processamento do açúcar contido no leite (galactose). Quando as crianças deficientes desta enzima ingerem leite, ocorre acúmulo de galactose nas células do fígado, rins, cérebro e olhos, acarretando prejuízo para esses órgãos. Os sintomas da doença incluem problemas de coagulação, pele amarelada (icterícia), baixa de glicose no sangue, excesso de glicose na urina, excesso de acidez no sangue e catarata.


Como se transmite ?

Através dos genes dos pais e de forma recessiva. Ocorre numa freqüência de 1 criança doente em cada 60.000 nascimentos.


Qual a importância do teste do pezinho ?

O diagnóstico precoce pode evitar um agravamento das conseqüências do excesso de galactose no corpo.
Nestes casos a criança não deve tomar leite ou substâncias que contenham lactose e galactose.



3) DEFICIÊNCIA DE BIOTIONIDASE

O que é ?

A deficiência de uma enzima que reaproveita uma vitamina chamada biotina e que resulta na falta desta vitamina. As crianças com esta deficiência podem ter convulsões, fraqueza muscular, erupções na pele, queda de cabelo, acidez no sangue e deficiência imunológica.


Como se transmite ?

Através dos genes dos pais .


Qual a importância do teste do pezinho?

A detecção precoce da falta da enzima possibilita o tratamento precoce.


Qual é o tratamento da deficiência da biotinidase ?

Altas doses de biotina.



4) ANEMIA FALCIFORME

O que é ?

É uma das doenças do sangue causadas por uma alteração na composição da hemoglobina levando a formação de uma hemoglobina anormal chamada de S.


Como se transmite ?

As hemoglobinopatias são herdadas geneticamente dos pais. A presença de doença (anemia) e outros sintomas depende da intensidade e também do tipo de alterações da hemoglobina.


Quais são as conseqüências para o recém - nascido?

Doente (falciforme ou homozigoto SS): é raro e atinge por volta de 8 indivíduos em cada 100.000 nascimentos. O recém-nascido não apresenta sinais da doença porque nasce com uma quantidade de hemoglobina fetal aumentada e esta proporciona proteção contra os efeitos da hemoglobina S (anemia, icterícia, dores ósseas, articulares e abdominais, infecções de repetição) até os seis meses de idade. 

Nessa ocasião já se pode confirmar o diagnóstico da anemia falciforme pelo predomínio de mais de 50% de hemoglobina S nos glóbulos vermelhos. Portador (traço falciforme ou heterozigoto S): é mais freqüente e atinge 500 indivíduos em cada 100.000 nascimentos. 

A criança portadora não apresenta sinais de doença até os seis meses de vida. Nestes casos, podem aparecer sintomas similares à anemia falciforme, com intensidade acentuadamente menor, e também sempre relacionados a situações desencadeantes como, por exemplo, infecções pulmonares graves, anestesia com baixa oxigenação, trabalho em condições de baixa oxigenação, avião despressurizado, grandes altitudes e raramente após exercício físico muito intenso. Em geral, este tipo de portador permanece assintomático durante toda a vida e o diagnóstico só virá a ser feito com exames de laboratório.


Qual é a importância do teste do pezinho ?

Teste do pezinho é importante para triagem. Se positivar, indicam-se novos exames após 6 meses de vida. Os pais também deverão realizar a investigação de hemoglobinopatia.


Qual é o tratamento para a anemia falciforme ?

O recém-nascido está protegido contra as manifestações clínicas da anemia falciforme até os 6 meses pela presença de hemoglobina fetal. Existe necessidade de acompanhamento médico para todo o doente de anemia falciforme. O traço falciforme NÃO é doença.



5) GLICOSE 6- FOSFATO DESIDROGENASE (G-6 PD)

O que é ?

A deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase (G6PD) é o distúrbio metabólico mais comum dos glóbulos vermelhos e é causado por alterações de enzimas que são fundamentais para a estabilidade da membrana celular dos glóbulos vermelhos. Pacientes com a deficiência de G6PD podem apresentar destruição de glóbulos vermelhos (anemia hemolítica) e icterícia.


Como se adquire a doença?

É uma doença herdada geneticamente ligada ao cromossomo X. Portanto acomete mais paciente do sexo masculino. No Brasil, mais de 1% da população é portadora da doença.


Quais as conseqüências para o recém - nascido?

A grande maioria dos indivíduos deficientes de G6PD são assintomáticos e alguns deles tem crises agudas de anemia por destruição dos glóbulos vermelhos quando entram em contato com certos alimentos como a fava, substâncias químicas que podem ou não ser medicamentos (aspirina,sulfa, etc) e diversas infecções virais. As crises de anemia hemolítica aguda se produzem pela destruição dos glóbulos vermelhos dentro do vaso sanguíneos e clinicamente se apresentam com anemia, icterícia e aumento do baço.


Qual a importância do teste do pezinho?

Teste do pezinho é importante para triagem, devendo ser realizados exames específicos para o diagnóstico.


O que fazer se ele estiver alterado?

Não é necessário tratamento se o bebê não apresentar manifestações clínicas. Deve-se, todavia, evitar uma série de medicamentos do tipo aspirina, sulfas e outros com potencial para desencadear a destruição de glóbulos vermelhos.



6) HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO

O que é?

A Triiodotironina (T3) e a Tiroxina (T4) são os hormônios produzidos pela glândula tireóide. São fundamentais para a regulação da produção e consumo de energia pelo organismo humano. Além disso os hormônios tireoidianos atuam, desde a fase intra-uterina, estimulando o processo de crescimento e desenvolvimento e influenciando decisivamente a maturação do sistema nervoso central. A sua deficiência leva a um quadro clínico bem definido denominado hipotireoidismo.


Como se adquire a doença?

O hipotireoidismo pode ser adquirido em vida através de alterações auto-imunes, inflamatórias ou infecciosas, e também antes do nascimento, quer por alterações genéticas, quer por alterações ambientais e do organismo materno.


Quais as conseqüências para o recém-nascido?

Considerando-se a forte influência dos hormônios tireoidianos sobre o crescimento e o desenvolvimento neuropsicomotor, fica fácil compreender que a sua falta pode levar a prejuízo no crescimento da criança e a um retardo mental, que será tanto maior, quanto mais tempo esta falta ocorrer.


Qual a importância do teste do pezinho?

Os sinais e sintomas do hipotireoidismo são escassos nas primeiras semanas de vida. Sabe-se que ocorre um caso de hipotireoidismo congênito a cada 4.000 recém-nascidos vivos, proporção que aumenta para 1 em 2000 crianças em regiões carentes de iodo. A solução adotada por um grande número de países foi determinar a obrigatoriedade da avaliação da função tireoidiana em todos os recém nascidos. Esta avaliação é feita de rotina pelo teste do pezinho através da dosagem de T4 e TSH.


O que fazer se ele estiver alterado?

Uma vez detectada alteração nos testes de triagem, repete-se a dosagem, no soro, uma semana depois. A alta sensibilidade do primeiro exame é extremamente importante para evitar que qualquer caso passe despercebido. Muitas crianças apresentam resultados normais, o que descarta o diagnóstico de hipotireoidismo na maioria das vezes. Aquelas crianças em que os exames persistem alterados devem ser encaminhadas rapidamente a um especialista para determinação da possível causa do hipotireoidismo e da estratégia do tratamento. 

Quando diagnosticado no momento certo o hipotireoidismo é facilmente tratado e controlado, sem nenhum prejuízo para o crescimento e desenvolvimento da criança.



7) HIPERPLASIA CONGÊNITA DA SUPRA-RENAL

O que é?

É um defeito na produção de hormônios pelas glândulas supra-renais ou adrenais. Na tentativa de compensação dessa deficiência, a hipófise produz um excesso do hormônio que estimula a supra-renal causando um aumento do tamanho dessas glândulas e muitas vezes um aumento dos hormônios que controlam a masculinização do corpo, sem compensar a falta dos hormônios que controlam o metabolismo da água e do sal do organismo. A alteração mais comum é a deficiência da enzima 21-hidroxilase progesterona.


Como se adquire a doença?

O funcionamento de cada uma das enzimas que regulam a produção dos hormônios da glândula supra-renal é feito por genes. Qualquer alteração ou mutação destes genes pode acarretar um defeito, resultando na falta de um hormônio ou acúmulo de outro. A doença ocorre em 1 de cada 12.000 crianças nascidas vivas. Cerca de 1 a 2% da população é constituída de heterozigotos, isto é, de portadores do gene e não da doença.


Quais as conseqüências para o recém-nascido ?

A deficiência da enzima 21-hidroxilase pode levar a um quadro de virilização da criança e eventualmente a vômitos e desidratação, com perda de sal e água.


Qual a importância do teste do pezinho ?

Diagnosticar precocemente a criança doente para receber reposição do hormônio e evitar as conseqüências da doença.


O que fazer se ele estiver alterado?

Esta dosagem é extremamente sensível, isto é, detecta mínimas alterações. RN prematuros e alguns RN de termo podem ter níveis acima do esperado por influência dos hormônios maternos. Desta forma os casos em que a mesma se encontra alterada devem ser considerados apenas “suspeitos”. O diagnóstico definitivo somente poderá ser feito após observação clínica e a efetivação de novos exames, solicitados pelo próprio Laboratório do Hospital Albert Einstein ou por endocrinologista que é o especialista nesta patologia.



8) TOXOPLASMOSE

O que é ?

Toxoplasmose é uma doença causada por um parasita,Toxoplasma gondii. Ele é um parasita do intestino de gatos, onde se multiplica. Em outros animais o toxoplasma não completa seu ciclo: invade, forma cistos nos músculos, cérebro, retina e outros órgãos mas não se multiplica no intestino.


Como se adquire a doença ?

O grande transmissor é o gato, mas se qualquer animal pode ter cistos na sua musculatura, e se o homem consumir carne crua destes bichos, pode adquirir a toxoplasmose. A toxoplasmose parece não ser transmissível de homem a homem, exceto durante a gravidez. Na gravidez a imensa maioria dos casos de transmissão ocorre apenas se a mãe se contaminou e teve doença exatamente durante a gravidez, em qualquer fase desta. Casos de toxoplasmose congênita ligada a antigas infecções na mãe são raridades, embora existam.


Quais as conseqüências para o recém nascido ?

Podem ser sérias, com calcificações cerebrais , malformações , doença sistêmica grave, ou podem se expressar no futuro como doenças da retina que prejudicam a visão. Muitos casos não apresentam alterações clínicas ou sintomas, mas há alguma evidencia que a toxoplasmose se não tratada nestes casos leva a uma diminuição do potencial intelectual destas crianças, sem que isto esteja claramente mensurado.


Qual a importância do teste do pezinho ?

O teste do pezinho avalia se existem anticorpos contra o toxoplasma feitos pela criança, não pela mãe. Esta diferenciação é crítica, pois a imensa maioria das pessoas (90 % ou mais em São Paulo) tem anticorpos contra o toxoplasma por conta de infecções anteriores. A presença de anticorpos tipo IgG de origem materna na criança não tem o menor significado patológico.


O que fazer se ele estiver alterado ?
Primeiro ele precisa ser confirmado, como todos os exames que dão positivos no teste do pezinho. Se confirmado, é fundamental informar imediatamente ao pediatra o fato pois a toxoplasmose tem tratamento efetivo que deve ser iniciado mesmo que não haja nenhuma alteração clínica.


.

24 de outubro de 2010

Higiene Oral do Bebê

Para manter a saúde bucal do bebê o aleitamento materno é essencial ao desenvolvimento do sistema imunológico (defesa orgânica), evitando assim caries e infecções precoces.

Devem-se evitar hábitos incorretos de sucção do bebê como: uso de chupetas, chupar o dedo, uso de bicos artificiais e mamadeiras, diminuindo assim o desenvolvimento de possíveis danos ao sistema estomatognático (boca).

A partir dos quatro anos de idade as chances do desenvolvimento de danos a anatomia aumenta, sendo necessária assim a interrupção de tais hábitos aderindo o uso de copos.

Desde a primeira mamada é necessário realizar a higiene bucal da criança através da limpeza do bico da mama materna e boca do bebê com fralda ou gaze úmida passo a passo:

Com a gaze envolvida na ponta do dedo, umedecido em água fervida ou filtrada deve-se limpar as gengivas, língua e céu da boca em movimentos suaves.

A partir dos primeiros dentinhos aparentes é importante realizar escovação com escova de cerdas macias própria para faixa etária da criança, sem o uso de cremes dentais somente com água ou substância especifica para escovação dos bebês.

Cremes dentais com flúor só devem ser usados a partir dos quatro anos de idade, pois é necessário que a criança saiba cuspir a solução.

Assim o seu filho terá a saúde bucal preservada.
 
 
Fonte: http://enfermagemdiario.blogspot.com/2010/10/bebes-necessitam-de-higiene-oral.html
.

Prematuridade Extrema

Há algumas semanas, os meios de comunicação mostraram a saída do hospital da pequena Ana Júlia, depois de passar 4 meses entre o CTI e a unidade semi-intensiva. Segundo os médicos, Júlia é a menor prematura extrema nascida em terras brasileiras que tenha sobrevivido.

A prematuridade extrema define-se por nascimentos ocorridos antes da 30ª semana de gestação. Algumas décadas atrás seriam improvável a sobrevivência desses bebês. Atualmente, há êxito em vários casos, ainda que a ocorrência de seqüelas não sejam tão raras. No entanto, Ana Júlia enquadra-se nas estatísticas positivas, uma vez que a pequena não apresentou qualquer problema em seu desenvolvimento até o momento.

Ainda que a medicina neonatal esteja alcançando patamares invejáveis em termos de assistência a esse grupo de bebês, é necessário concorrer para a diminuição desse evento com ações na esfera da medicina preventiva que envolvam atenção à saúde da gestante e ao risco de parto prematuro.

É sabido que a elevação da pressão arterial na gestação e a prática de inseminação artificial - essa pelo fato de levar à maior incidência de gestações múltiplas as quais representam um risco aumentado de parto prematuro - são aspectos diretamente relacionados à ocorrência desses tipos de nascimento.
 
Fonte: http://grupogestarte.blogspot.com/2010/10/o-que-e-prematuridade-extrema.html
.

Andadores

Muitos pais pensam que os andadores vão ajudar os filhos a aprender a andar, mas não. Na verdade, os andadores podem atrasar o desenvolvimento da criança.

Perigos:

- acidentes em escadas: esta é a forma como a maioria das crianças se machuca em andadores, com fraturas e traumatismos cranianos;

- queimaduras: a criança pode alcançar lugares mais altos com o andador, ficando mais fácil puxar uma toalha de uma mesa e derramar bebidas quentes, mexer em panelas no fogão e se "divertir" com lareiras ou aquecedores;

- afogamento: seu filho pode cair em uma piscina ou banheira enquanto brinca em um andador;

- envenenamentos e intoxicações: fica mais fácil alcançar o armário dos remédios ou o local onde ficam armazenados produtos tóxicos.


Ah, mas eu vou ficar olhando...

A maioria dos acidentes com andadores acontecem quando os adultos estão assistindo. Os pais ou responsáveis podem não conseguir acudir a criança com rapidez suficiente. Uma criança em um andador podem movimentar-se numa velocidade espantosa. É por isso que nunca são seguros, mesmo com um adulto por perto.


O que você pode fazer

- jogue fora os andadores; além disso, certifique-se que não há andadores em locais que seu filho frequenta, como creches escolinhas ou casa de parentes e amigos;

- tente outras atividades agradáveis e mais seguras como centros de atividades, que não têm rodas, e cercadinhos, por exemplo.

Normas de segurança

Normas de segurança para os andadores vigoram desde 1997. Eles agora são feitos mais amplos, de modo que não possam passar pelas portas, ou com freios. Contudo, estas melhorias não previnem todos os acidentes. Eles ainda têm rodas, que fazem as crianças moverem-se rapidamente, e permitem que elas alcancem objetos no alto.


Fonte: http://www.pediatriabrasil.com.br/2010/09/andadores.html
.

A importância da Amamentação

Porque proteger a amamentação é importante?

O leite humano é o único alimento capaz de oferecer todos os nutrientes na quantidade exata de que o bebê precisa. Ele garante melhor crescimento e desenvolvimento, não existindo nenhum outro alimento capaz de substituí-lo.

Não acredite em propagandas enganosas. Elas buscam confundir você e convencê-la a substituir a amamentação pela mamadeira.

 
O que mais o bebê ganha mamando no peito?
Afeto e saúde. O ato de amamentar é o primeiro momento de carinho entre mãe e filho. Além disso, quando amamentado, o bebê recebe proteção contra infecções, alergias e outras doenças.

Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face da criança, importante para que ela tenha dentes bonitos, desenvolva a fala e tenha uma boa respiração.

Como amamentar?

• A mãe deve dar o peito ao seu filho sempre que ele pedir. O bebê não tem horário para mamar, tem seu próprio ritmo, que deve ser respeitado. Ele deve mamar até que fique satisfeito. É importante que ele esvazie bem uma mama antes de passar para a outra mama.

• Leite do final da mamada tem mais gordura e por isso mata a fome do bebê e faz que ele ganhe mais peso

*Procure criar condições que sejam simultaneamente relaxantes para si e para o seu bebê. Coloque ambos na posição mais confortável possível.

*Para o êxito da amamentação é imprescindível uma posição correta que será alcançada através da técnica de amamentação, que consiste nos seguintes passos:

1. Coloque o seio na boca do bebê;

2. Toque o mamilo no lábio inferior do bebê. O bebê abre a boca;

3. Coloque não apenas o mamilo, mas o máximo possível da aréola na boca do bebê;

4. Rápida e firmemente puxe a cabeça do bebê para a mama.

Sinais de uma pega correta:

- A boca do bebê está muito aberta e ele tem uma grande porção de mama dentro da boca (lembre-se que amamentar é “dar o peito”, não é dar apenas o mamilo);

- O queixo está a tocar na mama;

- O lábio inferior está enrolado para trás;

- Se existir aréola visível, mais quantidade é visível acima do lábio superior do que abaixo do lábio inferior.

Que vantagens a amamentação traz para a mãe?

A amamentação traz também vantagens para a mãe. O sangramento pós-parto diminui, assim como as chances de desenvolver anemia, câncer de mama e diabetes. A mulher que amamenta perde mais rapidamente o peso que ganhou durante a gravidez.

 
Como saber se o leite do peito está sendo o suficiente para o bebê?

1. Você pode ficar tranqüila se o bebê:

• Ficar satisfeito depois das mamadas.

• Urinar várias vezes ao dia.

• Ganhar peso e crescer bem

2. Dicas úteis para uma boa amamentação:

• A cor do leite pode variar, mas ele nunca é fraco.

• Evite bebidas alcoólicas, fumo e drogas.

• A mãe que tiver excesso de leite pode doá-lo a um Banco de Leite Humano e ajudar outros bebês que precisam.


NÃO SE ESQUEÇA:

Os bebês costumam mamar com muita freqüência, principalmente nos primeiros meses. Isso é normal.

"A amamentação é um processo natural e a melhor forma de alimentar, proteger e amar o seu bebê."

Fontes: http://enfermeiraalmeida.blogspot.com/2010/09/importancia-da-amamentacao.html
e
http://www.sbp.com.br/img/campanha/folder%20alterado.pdf

.

18 de outubro de 2010

10 Dicas para futuros papais

Todo pai fica animado com a expectativa da chegada de um novo bebê. No entanto, tem que enfrentar a ansiedade de ver sua parceira passar por inúmeras mudanças, além de mal-estar, alterações de humor, dores, parto e assim por diante, sem saber como realmente ajudar.

Aqui está uma lista de coisas que a futura mamãe vai adorar!

1- Ajude em pequenas e grandes tarefas

Quando sua companheira estiver grávida, uma das coisas mais importantes que você pode fazer por ela é oferecer apoio, compreensão e assistência. De tarefas simples, como colocar a roupa na máquina, a tarefas mais complexas, como a compra de produtos de higiene que serão utilizados no hospital quando o bebê for nascer, o futuro papai deve fazer reinar a paz no lar.


2- Esteja sempre presente

Quando ela estiver irritada e desconfortável, ter apoio em casa pode ser tudo que ela necessita. Tente entender o porquê de ela estar irritada e faça o seu melhor para aliviar as coisas.


3- Libere o seu lado massagista

Retenção de líquidos e inchaço das pernas são muito frequentes na gravidez. Ter os pés massageados pode ser tão valioso quanto um colar de diamantes para uma mulher grávida, especialmente se for feito com amor. Da mesma forma, uma massagem no ombro ou em outras partes do corpo são bem-vindas.


4- Mostre interesse

Passear na seção de bebês do supermercado pode não ser a sua idéia de terapia relaxante, mas a sua parceira vai se encantar ao ver inúmeros acessórios, sapatinhos e roupinhas coloridas. Se ela perguntar sua opinião, tentar ser agradável. Evite o indesejável: "Eu não sei, querida".


5- Acompanhe-a nos cursos para gestantes

Especialmente se for seu primeiro bebê, sua parceira vai querer assistir a aulas para gestantes, a fim de que todo o processo, da gravidez ao parto, não seja um choque para ela. É importante que você participe, não apenas para aprender, mas também para mostrar o seu apoio incondicional e poder ajudá-la a superar as dificuldades que porventura apareçam.


6- Providencie a cadeirinha de transporte do bebê

Você não pode levar o recém-nascido do hospital para casa sem ter um assento de carro regulamentado instalado em seu veículo. Esta função poderia ser sua. Ou ao menos ir às compras com ela, a fim de que esteja tudo pronto para quando o bebê nascer.


7- Monte o quarto do bebê

Naturalmente, a decoração do quarto do bebê é algo que vocês vão querer discutir e fazer juntos. Resolvendo essa questão o quanto antes possível, haverá uma coisa a menos para se pensar quando a gravidez entrar na fase final. A pintura deve ser feita logo no início. Outras peças de mobiliário poderão ser providenciadas quando o dinheiro estiver disponível. Ajude a pendurar cortinas, instalar prateleiras e a montar o bercinho.


8- Acompanhe-a nas visitas ao médico

Você não vai saber a maravilha que é ver o seu próprio bebê crescer e se desenvolver na barriga da sua parceira, a menos que você vá à uma ou mais consultas pré-natais. Certifique-se que você não perderá as que incluem um exame de ultra-som.


9- Planeje tudo

O planejamento também é uma de suas funções. Você precisará de uma estratégia para o início súbito do trabalho de parto, incluindo a rota para o hospital e quem vai cuidar de outros filhos em casa. Você precisa ter certeza de que o carro estará pronto e de que você poderá se ausentar por algum tempo do trabalho quando o bebê estiver para nascer. Você também deve planejar a parte financeira, não se esquecendo das despesas médicas e hospitalares.


10- Não se esqueça do relacionamento a dois
Quando o bebê vier ao mundo, seu relacionamento provavelmente vai mudar. Agora é a hora de cimentar o amor que vocês tem um pelo outro. Lembre-se de que, apesar de agoram serem mamãe e papai, vocês continuam sendo companheiro e companheira. Não deixe a chama do amor se apagar!



Fonte: http://www.pediatriabrasil.com.br/2010/09/10-dicas-para-os-futuros-papais.html
.

Ninguém contou que na gravidez...

Quando engravidam, as mulheres ouvem tudo sobre os enjoos e desejos, mas isso não é tudo. Saiba as 10 coisas que toda mulher deveria saber antes de engravidar:

1) Buço: Os hormônios fazem pelos aparecerem em lugares novos e bem desagradáveis, como o buço. Depois, volta ao normal.

2) Saudades da virilha: A barriga vai crescer e você não vai mais conseguir ver sua virilha. Vai ser impossível adestrar o crescimento dos pelos em casa.

3) Intestino preso: Os músculos da barriga relaxam, tornando aquela ida ao banheiro uma tarefa árdua.

4) Gases: Eles vão ficar fora de controle. Não vai dar nem para colocar a culpa no cachorro!

5) Arrotos: Você vai parecer um adolescente, conseguindo recitar o alfabeto inteiro em uma nota só.

6) Salivação: Você vai acordar com o travesseiro encharcado. Pois é, uma eca mesmo.

7) Fluidos vaginais: O excesso de estrógeno que seu corpo produz faz a circulação sanguínea aumentar na vagina.

8) Urina: No final da gravidez o bebê pressiona alguns órgãos e a bexiga é um deles. Vai vazar.

9) A vagina vai crescer: No último trimestre, os lábios vaginais vão inchar por causa do aumento do fluxo sanguíneo.

10) Pinçadas nas cadeiras: Você vai sentir puxadas na viri-lha, como choques. Ou o bebê está mudando de posição ou é o começo das falsas contrações.

 
Fonte: http://www.revistapaisefilhos.com.br/saude-gravidez/842/ninguem-me-contou-que-na-gravidez
.

2 de outubro de 2010

Bebê sempre limpinho

Qual a forma ideal de limpar o seu bebê? Segundo a especialista Maylu Barbosa Silva de Souza, enfermeira e professora de obstetrícia da Escola Técnica de Enfermagem em Itabuna (Etei – BA) é preferível fazer a limpeza específica de cada região do corpo, seguindo as especificações abaixo:

Olhos

Prefira limpar os olhinhos na hora do banho, com algodão embebecido com água morna ou soro fisiológico, utilizando um algodão para cada olho, no sentido pálpebra para os cantos.

Narinas

As secreções internas do nariz podem dificultar a respiração do bebe, portanto queridas mamães, fiquem atentas. Não coloque algodão nas narinas, a maneira correta de se higienizar é com cotonete ou gaze umedecida com soro fisiológico, porém de maneira superficial.

Orelhas

Lave-as durante o banho, apenas externamente. Após o banho, use uma fralda de pano para enxugá-las. Os cotonetes não devem ser utilizados dentro do ouvido, apenas nas dobras das orelhinhas.

Boca

A higiene oral deve pode ser feita com uma dedeira, gaze ou fralda umedecida com água filtrada. Deslizando suavemente, procurando lavar bem as gengivas, bochechas e língua. Em média duas vezes por dia ou de preferência após cada mamada.

Genitais

Devem ser limpos com algodão umedecido em água, no sentido de cima para baixo, evitando contaminação de fezes na região.

Unhas

Precisam ser cortadas com tesouras especificas de ponta arredondada ou a mamãe pode preferir lixa-la, delicadamente, de baixo para cima.É importe manter as unhas do bebe sempre curtas, evitando que se arranhe ou se corte Prefira sempre deixá-las retas.

Mãos

Para evitar que o bebe se contamine levando mãos sujas a boca, as mãos devem estar sempre limpinhas (com água e sabão) . O mesmo vale para os pés.

Atenção aos sapinhos

O sapinho é uma contaminação ocasionada por fungos, devido à higiene precária dos objetos de uso do bebe, como chupetas e bicos. Portanto, higienize-os sempre! Estando atenta as “natas” brancas que ficam na boca do bebe.

Em casos de dúvidas, consulte sempre o pediatra de seu bebe.

----------------------------------------------------
Queridas mamães

Existem alguns segredos para facilitar os banhos dos bebê:

* Em primeiro lugar, deixar sempre próximo a banheira todos os itens necessários: toalha, fralda, roupinha, produtos de higiene e brinquedos adequados, procurando criar com o banho uma experiência positiva para a criança.

* Retire pulseiras e anéis e procure manter as unhas curtas, evitando de que se machuque o bebe.

* Evite correntes de ar, fechando portas e janelas.

* Coloque água morna e não se esqueça de sempre medir a temperatura (com um termômetro de preferência) A temperatura ideal é entre 36º e 37º .

* Quando mergulhar o bebe na banheira, segure pelos ombros e pelos braçinhos.

* Ao retirar o bebe, cubra-o e em seguida seque todas as dobrinhas com uma fraldinha.

* Os banho devem ser diários, os melhores horários, segundo a enfermeira especialista, são entre as 11 e as 15 horas ou antes do beber dormir.

* A medida da água na banheira deve ser na altura do umbigo do bebe (cerca de 15 cm) .

* Lave sempre a banheira antes de utilizá-la usada.

* O banho não deve durar mais que 15 minutos.

* O talco deve ser evitado, pois pode ser aspirado pela criança

 
Fonte: http://queridamame.blogspot.com/2010/05/bebe-sempre-limpinho.html
.